quarta-feira, 22 de outubro de 2008

SPEED RACER, GO, GO, GO!

Speed Racer! Vi ontem o filme dos irmãos Wachovski e fiquei banzado. Estes irmãos conseguiram, mais uma vez, espantar-me com mais uma grande produção de efeitos visuais vertiginosos e estonteantes (literalmente), também marcadas por uma beleza cénica , um tanto ou quanto kitch (é certo), pouco vulgar, mas bastante vincada e que me agradou imenso. Se forem eventualmente susceptíveis àquelas hipnóticas imagens dos jogos, o melhor é não verem, senão arriscam-se a um ataque epiléptico. É um filme de acção; espirituoso pelas interpretações do “irmãozinho” mais novo do Speed Racer e seu chimpanzé maravilha; repleto de vilões extremamente bem caracterizados; com uma história muito bem escalonada e coerente; com interpretações a um muito bom nível; fantásticos bólides com OH! SO NERDY e detalhadas especificações técnicas de cada um; muitas corridas completamente, absolutamente, fabulosas e arrepiantes. Como podem ver, adorei. O mesmo não posso dizer do resto do Mundo, pois o filme foi um enorme flop de bilheteira: custou mais de 120 milhões de Dólares e rendeu cerca de 90 milhões!

Mas este é um blog sobre BD, Comics e afins, por isso poderão (alguns) estar-se a perguntar: E então, o que é que isto tem a ver?! Bem, tudo. Este personagem (Speed Racer) nasceu como uma Manga, em 1966, onde originalmente o personagem dá pelo nome de Mifuno. A Manga (estilo Shuisha Shonen, em formato tankobon) chamava-se Mach GOGOGO (マッハGoGoGo, Mahha GōGōGō?) e foi criada por Tatsuo Yoshida. Em 1967 foi adaptada para Anime pelas Produções Tatsunoko pela mão do mesmo Tatsuo. Chegou ao Ocidente (Inglaterra) e foi traduzido para Inglês como “Speed Racer, Mach GoGoGo”. Mais tarde, os Norte-Americanos adquiriram os direitos.

As aventuras rodam à volta de um jovem que é apaixonado por corridas e que corre o Mundo dedicando-se à sua paixão. Cada história traz um enredo novo, de mistério e acção, onde toda a família do jovem herói o acompanha, desempenhando papéis relevantes. O outro grande herói destas aventuras é o fantástico e ainda hoje muito actual (futurista mesmo) Mach 5, o carro de corrida desenvolvido pelo Pai (Pops) do Speed Racer. Mach 5 no Ocidente, porque “Go” é a palavra Japonesa para “5”, daí “Mach Go” e depois de traduzido para o Inglês, “Mach 5”. As corridas são marcantes por não terem barreiras nem limites de lealdade e onde os bólides são capazes das mais incríveis acrobacias

Eu conheci este personagem através da Editora Abril, nos anos 70. Tenho alguns destes gibis, decidi ir à procura deles e mais uma vez deleitar-me com a sua leitura. Não foi uma decepção, mas também não me deleitei. O estilo demasiado juvenil já não me conseguiu de novo cativar.
Haveria muito para escrever sobre o Speed Racer, pois há uma legião de fãs que acompanha este herói desde a sua criação. Não vou aqui descarregar toda essa informação, pois não a acho assim tão interessante, vista ao pormenor. Ficam algumas imagens e o conselho de verem o filme. É um filme para toda a família, os miúdos vão adorar. O jogo também não teve as melhores críticas (falta-lhe a velocidade marcada pelo filme).

8 comentários:

OCP disse...

Engraçado, eu estive a ver o filme hoje. ;)

E concordo contigo a 100%, vale a pena ver o filme já da Bd, nunca li embora já tenha visto alguns dos desenhos da série de TV. :)

looT disse...

O filme dividiu as opiniões ous e amou ou se odiou. O que me deixou ainda mais curioso para ver.
Tenho pena tê-lo perdido no cinema, na altura preferi outros filmes mas pelo trailer acho que era um experiência a ser vivida na grande tela.

A BD também nunca li.
Alguém já viu gozarem com isto no Family Guy?

Abraço

Diabba disse...

Ainda eu digo que sou velha... tu tens a idade de Matusalén, não é? Pelas coisas que aqui trazes só pode! hihihihihi

enxofre

Nota: cá para mim tu és o próprio Matusalén!

Bongop disse...

Bolas... dessa BD só vi capas :p
O filme não gostei por aí além!
Mas é mais um bom post teu!
Abraço

refemdabd disse...

No cinema deve ter sido um verdadeiro espectáculo.

E pronto! Tinha que ser...para além de um bocado careca e com uns kilázios a mais, ainda me faltava esta: VELHO!
Para que se saiba, tenho 38 primaveras, completadas em Maio passado. Mas ainda sou do tempo do bacalhau a 10 paus o kilo e de não ter outro remédio senão chupar a Heidi na TV (que, por acaso, gostava imenso); Lembro-me de Portugal ter parado para ver o beijo (que é como quem diz) do Seu Nacibe na Gabriela (e do Tonico Bastos a pentear o bigode à porta do Bataclan). Mas isso também alguém que ainda não conheço se deve lembrar. he...he...he (riso débil e entupido pela longa e alva barba).

Não tenho um scaner de jeito (é pior que a Zundap do Zé da Velha a pegar); tenho que comprar um como deve ser, para poder partilhar imagens como deve ser.

Muito obrigado pelo elogio; se conseguisse, ficava mais inchado.

Diabba disse...

Isso não é riso, é tosse!! hihihihi

E quanto ao ficares mais inchado, continua o caminho trilhado até agora e terás o desejo realizado.

Vá, talvez hoje, se o puto acordar a horas decentes, leva-o. (leva também a cozinheira que te incha)

enxofre

refemdabd disse...

Já lá fui, cheguei agora, e lá fiz figura de nerd com a t-shirt VCC (velhinha como o c...caneco), logo, um bocadinho, mas só um bocadinho, apertada. Para a próxima trocamos telefones. Levei o puto (o mais lindo do universo e arredores); quanto à cozinheira, eu bem que queria que ela fosse (cozinheira, isto é!). Eu estou assim porque quem cozinha sou eu (a grande maioria das vezes), e não perco o meu tempo na cozinha para fazer um bife de peru grelhado com bróculos.
Tive pena de não nos termos encontrado.

Diabba disse...

Uhhh sem t-shirt no FIBDA... vais rapar um frio brrrrr

hihihihihi