terça-feira, 12 de novembro de 2013

THE TRIGAN EMPIRE



De uma das prateleiras que fotografei e que coloquei no post anterior sai esta série publicada pela The Don Lawrence Collection em formato de luxo, encadernado parcialmente a couro preto com generosas dimensões, 24 x 34cm, e com papel de 150 gramas onde as fabulosas pinturas de Don Lawrence ganham uma dimensão ainda mais épica narrando com ilustrações a fantástica epopeia do império de Trigan no Planeta Elekton e dos seus gigantescos habitantes com 3,65m de altura. São 12 volumes com uma média de aproximadamente 90 páginas, a cores, com 50 contos do Império de Trigan no total, complementados com um dossier ricamente ilustrado sobre como foram criadas as histórias e documentação acerca do Império de Trigan, e onde se pode vislumbrar todo o trabalho original do artista para a série. Nesta colecção todas as histórias foram ilustradas por Donald Southam Lawrence (17-11-1928 a 29-12-2003) e escritas por John Michael Butterworth (10-01-1924 a 04-10-1986 – aka Carola Salisbury). 



Os contos do Império Trigan, na narrativa, são traduções de livros encontrados dentro de uma nave espacial que se despenhou nos pântanos da Florida nos finais dos anos 30 do séc. XX. Embora a nave tenha resistido à destruição no impacto com o planeta Terra, a sua tripulação foi encontrada já sem vida. Dentro da nave foi encontrada uma colecção de livros escritos numa língua desconhecida pelos humanos do planeta Terra. Durante muitos anos, cientistas de todo o mundo tentaram em vão decifrar essa escrita. Mas, um desses cientistas, Peter Richard Haddon, depois de desde novo ter dedicado toda a sua vida ao estudo desses livros, quase no final dessa vida, conseguiu desencripta-los. Graças a este homem o mundo inteiro consegue finalmente conhecer a História da ascensão e queda do Império Trigan.




É com esta introdução na revista inglesa Ranger (“the magazine for boys”) que a saga “The Rise and Fall of the Trigan empire” foi apresentada aos seus leitores. Foi um projecto tido como ambicioso e, por tal, prestigioso, pelo que foram contratados dois talentos de topo. Mike Butterworth escreveu o roteiro, argumento, desta ópera-espacial e Don Lawrence ilustrou-a. Foi uma escolha acertadíssima, com a combinação destes dois talentos “The Trigan Empire” torna-se numa das mais populares “comic-strips” Britânica. Corria o ano de 1965. A tira de BD foi publicada nas revistas “Ranger” (#1 até #40) e depois na “Look and Learn” (#232) quando as duas revistas se fundiram numa só. Foram aproximadamente 50 as histórias elaboradas por Mike e Don. Existem algumas reedições destas histórias em formato álbum ou comic, mas estas da The Don Lawrence Collection são as únicas que revitalizam o trabalho original do artista e estão disponíveis em Inglês e Holandês.



Mais conhecido entre nós talvez pelos seus desenhos na série “Storm”, foi com “The Trigan Empire co” que a mestria de ilustrador de Don Lawrence foi reconhecida mundialmente.

Mike Butterworth para além desta série e outras em BD, destaco as histórias que escreveu do herói da RAF, Battler Britton. Escreveu também vários romances e novelas não ilustradas. 



Depois de Don Lawrence ter abandonado a série, esta ainda foi publicada até 1982 (Look and Learn #1049) mas desenhada por outros artistas, tais como Olivier Frey (arte), Gerry Wood (arte) e Ken Roscoe (argumento). 








O cenário da série é anacrónico, onde se misturam elementos díspares, uns que fazem lembrar os impérios Romano, Bizantino e Persa, tanto nas vestes como na arquitectura e aspectos sociais, assim como em certas armas, e outros que aludem a uma ciência muito avançada mesmo para os nossos padrões, como estranhas e avançadas máquinas e armamento, como fantásticos aeroplanos e navios, naves espaciais e pistolas de raio-laser. As aventuras são típicas dos anos 60/70: passadas no planeta Elekton e noutros, os heróis Trigo, Brag, Janno, Salvia e Peric, juntos ou à vez, lutam contra as ameaças ao império e inexoravelmente ganham sempre. Os enredos não são muito rebuscados, devido ao público-alvo, mas também não são, de todo, infantis. Tanto mais que acompanhada pela deslumbrante arte que a caracteriza. Diversão garantida, sem dúvida. Uma grande mais-valia numa qualquer colecção de BD. Acompanha esta colecção uma série de 12 "prints" em formato A4 de pinturas originais que Don Lawrence fez para esta edição. Como os livros são grandes, foi difícil conseguir digitalizar estas imagens.

  



8 comentários:

Nuno Amado disse...

Se esta puta de crise não existisse eu já teria esta série também... mas é incomportável para mim neste momento. Ainda me falta um número da série Storm, que eu já vi que começaste.
Estas edições, assim como as do Storm são espectaculares e elevam a arte de Don Lawrence aos píncaros!
Chamo-te à atenção que estão a sair uns artbooks (The Legacy) no mesmo formato (são 3) maravilhosos:

http://www.donlawrence.co.uk/shop/index.php?hg=2&sg=16

Vou mandar-te mensagem pelo facebook por causa do blogroll
;)

refemdabd disse...

Estes foram uma bela prenda de Natal (pré-crise) da minha querida e amada super-mulher.
A colecção do Storm já vai a meio (embora na imagem só vejas três livros). Comprei recentemente Os Mundos de Pandarve (muito, muito bom). Espero poder adquirir os Legacy, se não esgotarem, mas vão ter que esperar ainda um bom bocado :(

Muito obrigado pela tua paciência(blogroll)

refemdabd disse...

"Pandarve - The Worlds of Don Lawrence" (assim é que é)

Nuno Amado disse...

A partir de Pandarve é que Storm começa a sério. O salto qualitativo é significativo daí para a frente, sobre tudo nas histórias.
;)

refemdabd disse...

Sim, concordo. Tenho a colecção toda do Storm em revistas da Abril, do Brasil (não me recordo quantas são, se são 13 ou 16, não as encontro aqui no meio de todas as outras).

enanenes disse...

Fiquei interessado em saber mais pormenores sobre algumas obras na tua coleção, visíveis no último post!
No que toca a The Trigan Empire, não, pois já tenho esta série ;-)
Venham mais... :-)
Nuno

refemdabd disse...

Boas, Nuno. É só indicar quais as que suscitaram mais interesse, que eu faço um post. Até me ajudas, pois por vezes falta alguma inspiração. Daqui a uns tempos coloco mais fotos de outras prateleiras.
Abraço.

Álvaro de Sousa Holstein disse...

Gostei muito. Ainda bem que recomeçou.