sexta-feira, 1 de agosto de 2008

THE GOON

Desta vez venho com um dos personagens mais estranho e ao mesmo tempo divertido que eu tenho lido nos últimos tempos – abro este à parte para também sugerir o Hellboy Júnior do Bill Wray, com sólidas e “kinky” referências aos Harvey Comics; fiz este à parte pelo Goon já se ter cruzado com o Hellboy numa das aventuras do primeiro. O Goon é um brutamontes que insiste em dizer ser o homem-forte de um mafioso que dá pelo nome Lebrazio. De facto, o Goon é que é o chefe das operações que pertenciam ao mafioso; este foi morto pelo próprio Goon em vingança pelo assassínio da sua tia, que criou o herói desde criança. Uma curiosidade é que a boina que caracteriza o Goon pertencia ao Lebrazio. Acompanha o brutamontes o seu inseparável companheiro Franky, dono de um humor negro e inteligência que muitas vezes ensombra o herói; este personagem é desenhado sem pupilas, ao estilo da famosíssima Little Orphan Annie (Harold Gray. 1894-1968) . Embora não tenha uma cronologia adaptada à realidade, a cenografia e o guarda-roupa é típico dos anos 20/30 do século XX. As aventuras incluem zombies, lobisomens, génios do mal, monstros ao estilo Kaiju no género Tokusatsu (Godzilla e companhia, para os leigos).

O seu criador, Eric Powell, é um Norte-Americano nascido em Lebanon, Tennessee. Com já alguns créditos firmados na Industria dos comics, anteriores a esta sua criação, embora discretos. A primeira editora do The Goon foi a modesta Avatar Press (1999 – 3 números publicados). No entanto, o autor decidiu lançar-se a solo na edição da sua série e fê-lo sob a chancela da Albatross Exploding Funny Books (2002) à força do seu abandono da Avatar (devido à fraca qualidade dos comics) e de não ter encontrado alguém que publicasse a sua série. Depressa se fez notar e ainda com poucos números publicados o autor/artista foi rapidamente convidado a assinar com a Dark Horse (2003), os quais confessaram-se embaraçados por terem deixado escapar esta série por tanto tempo. O convite foi prontamente aceite. A Dark Horse apostou muito bem neste autor e no seu emergente personagem, pois em 2004 ganhou o primeiro de alguns prémios Eisner. Com este reconhecimento foi já convidado para artista numa edição na lendária e “matusalaica” Action Comics, onde brilhou com o personagem “Bizarro”. Também é interveniente, como entrevistado, no documentário “Independent” (documentário “indie” sobre o processo e espírito criativo nos Comics), recentemente visionada na terminada San Diego Comic Con.

De referir – embora não seja uma história nua e crua do The Goon – é o one-shot absolutamente negro e extremamente gráfico “Satans Sodomy Baby” (Dark Horse), que foi vendido dentro de um saco de plástico protector e com aviso bem ao estilo do humor da série The Goon quanto ao conteúdo expectável (cliquem na foto à esquerda para lerem a mensagem). Como era de esperar nos Estados Unidos da América do Norte, esteve envolto em grande polémica, sujeito a boicote por parte dos conservadores do costume…sim esse tipos que para os quais o sexo (embora neste comic seja bastante devasso, confesso e não professo) é altamente reprovável, ainda mais quando envolve o demo. A figura de proa desse protesto foi uma beata, de seu nome Margaret Snodgrass, residente no Alabama, que conseguiu fazer vingar o seu protesto ao ameaçar com a “eterna condenação ao Inferno” quem o vendesse nos seus escaparates. Houve realmente quem não tivesse colocado o comic nas prateleiras, tendo até ido mais longe e deixado de vender a série. Por tal, foi o número vendido com o título”Satans $@#%* Baby”, dentro de um saco de plástico e com o aviso para o seu conteúdo, tendo ficado remetida a capa e o título original para o seu interior; foram também publicadas as cartas dos fans que foram solidários com o one-shot, seu autor e editor.

O autor explica que esta sua criação é puramente ficcional, isto é, ao contrário de muitos outros personagens dos Comics que se inserem e transpõem na e para a realidade, o Goon é ficção absoluta e exclusiva dos Comics (ou dos Funny Books, se preferirem). Isto pode-se ver bem em dois dos números do Goon: o primeiro num número em que o Hellboy (personagem dos comics que se insere na realidade) se transporta através de um comic book do The Goon; o segundo número, onde um miúdo encontra e lê um Comic Book do The Goon.
Para além dos comics e respectivos TPBs, foram já publicados os hardcovers edições especiais autografados pelo autor e apelidados de “Fancy Pants” (dois volumes), as excelentes Graphic Novels “Chinatown”, “Noir” e “Wicked Inclinations”.
David Fincher (o mesmo de Fight Club e Se7en) recentemente optou pelo personagem no seguimento de um acordo com a Dark Horse para a realização de uma longa metragem de um dos títulos da editora; poderemos então esperar a adaptação para breve. Será em CGI, pelo que com optimismo antecipo uma boa adaptação.
Divertido, em suma, mas um exercício de grande qualidade de comics ao estilo Funny Books puro e duro e sem papas na língua.

8 comentários:

crucios disse...

eu tenho satan's sodomy baby! já está a valer alguma coisa...e vai aumentando...The Goon é dos meus favoritos...bom post :)

kitt disse...

"A figura de proa desse protesto foi uma beata, de seu nome Margaret Snodgrass, residente no Alabama, que conseguiu fazer vingar o seu protesto ao ameaçar com a “eterna condenação ao Inferno” quem o vendesse nos seus escaparates. Houve realmente quem não tivesse colocado o comic nas prateleiras, tendo até ido mais longe e deixado de vender a série. Por tal, foi o número vendido com o título”Satans $@#%* Baby”, dentro de um saco de plástico e com o aviso para o seu conteúdo, tendo ficado remetida a capa e o título original para o seu interior; foram também publicadas as cartas dos fans que foram solidários com o one-shot, seu autor e editor."

lololo,so nos Usa é que se ve disto.
A tua analise foi deslunbrante ,apesar de numca ter lido nada dom personagem.

OCP disse...

A arte dos desenhos fazem quase lembrar a do mestre Eisner...
E parece ser boa a serie...

Abraço. :-)

radjack disse...

Parece ser muito bom!
alguma recomendaçõa sobre esta série de TPb's para eu comprar (nunca li nada disto, por isso não pode ter muitas referências anteriores.

Bongop disse...

Esta sim, é uma série que eu classifico de "curiosa", pois ainda não tenho nenhum livro, mas já li alguns! Já encomendei, e nunca chegou... já comprei apenas um volume, e devolvi por estar todo sujo por dentro. Por isso li emprestado :S ........
De qualquer maneira tenho de fazer um apanhado da série, pois criaste interesse novamente pelo gigante de boina :)

refemdabd disse...

Recomendo o Fancy Pants vol II que é uma excelente compra (o I só no site da Dark Horse); o comic Satans SB também é excelente. Qualquer um serve, bem vistas as coisas. Talvez o melhor seja comprares o primeiro tpb para melhor apanhares as coisas.

Sim, curioso também foi o que pensei quando o tive na minha mão
pela primeira vez (É LÁ pessoal, não é nada disso...embora também deva ter pensado a mesma coisa hehehe!).

Exacto,o Eisner também é forte influência, para além de outros clássicos.

Obrigado pelo teu elogio Kitt.

O SSB já vale cerca de 5,5 USD mas vai valer muito mais dentro de uns anos.

looT disse...

Já estive para lhe pegar mas fui adiando.

Há tanta coisa para ler :P

Abraço

celtic-warrior disse...

Tenho os dois volumes da última série e não me arrependi, mas estão na calha os volumes das séries anteriores. Excelente desenho, bom argumento.