terça-feira, 6 de maio de 2008

LUCIFER MORNINGSTAR

Quando acabei de ler o tradepaperback "Season of Mists", da série "Sandman", fiquei intrigado com a história de Lúcifer, que se tinha “demitido” das suas responsabilidades de senhor do Inferno, entregando a chave do mesmo ao Dream of the Endless, o personagem principal da série "Sandman", um dos sete Endless . Fiquei muito entusiasmado quando surgiram os primeiros rumores de que a série "Sandman", devido ao seu absoluto sucesso, teria direito a um spin-off. Logo na altura pensei – e não é soberba da minha parte – que um excelente spin-off seria saber o que se passou e viria a passar com Lúcifer Morningstar. Para meu gáudio, o Neil Gaiman também pensou o mesmo: que a personagem que mais mereceria ter a sua própria revista seria o Lúcifer. A DC não achou muita graça à sugestão e levantou algumas questões (leia-se "objecções") ao desejo do Gaiman dar um título ao Mafarrico em pessoa. Sabe-se que nos EUA existem fortes grupos de pressão que se levantam em peso contra certas questões, em especial o sexo e a religião, e, vejamos, o Diabo retratado num comic não seria muito bem-vindo por esses referidos grupos. Isto traria à DC muitas dores de cabeça, ainda mais a morada da Vertigo tem, ou tinha, o número 666 na sua porta! Mas como muitos dólares compram muitas aspirinas e como o Gaiman insistiu e fincou pé nessa personagem, a DC decidiu então encomendar um camião cheio de ácido acetilsalicílico guiado por uma legião de preparados letigators para rebater qualquer cefaleia. Bem-dita a hora!


O Neil Gaiman ofertou ao Mike Carey, na foto, a responsabilidade de escrever esta série, que debutou em 1999 e durou até 2006 com 75 números publicados (11 TPBs com um stand-alone, “Lucifer - Nirvana”) pela chancela da DC/Vertigo. Ao contrário da série Sandman, que teve a colaboração de variadíssimos desenhadores, a série "Lucifer" teve a colaboração quase exclusiva do Peter Gross, do Ryan Kelly e do Dean Ormston nas odd-stories; o número 50 trouxe o Phillip C. Russel (conhecido nos EUA por ter sido o primeiro comic artist a se ter assumido Gay, e cá por nós, que não ligamos ao que os outros gostam ou não gostam, por desenhar o Elric do Roy “the Boy” Thomas); este número 50 foi uma homenagem ao Sandman número 50.


Basicamente, sem spoilers, conta a história do Arcanjo Samael e de como ele se tornou Senhor do Inferno e como e porque ele se fartou de o ser. O Arcanjo preferido de Deus revoltou-se e apoiado por uma legião de outros Arcanjos, Serafins, Anjos e Querubins travou uma guerra contra a facção fiel a Deus, comandada pelo seu irmão de criação, Michael Demiurgos, o Primeiro de Deus. Até aqui todos nós, de uma ou outra maneira, já conhecíamos a história. Após muitos e muitos eons como governante do Inferno, nunca resignado ao seu destino, decidiu desafiar novamente a ordem vigente e criar o seu próprio universo, onde é absolutamente proibido adorar o e quem quer que seja. Abandonando o Inferno, vem para o nosso mundo e abre um bar em Los Angels com o nome de Lux (humm…eu acho que é em Lisboa, mas o Manuel Reis não é nada parecido com este nosso personagem, baseado no personagem criado por Milton no seu “Paradise Lost”) acompanhado por uma poderosa e angustiada amante, Mazikeen, filha de Lilith, a primeira mulher da história do mundo, começa a desenrolar-se de forma complexa, em que mistura religiões, crenças, mitos e seus personagens, numa panóplia de acontecimentos que envolvem alguns dos habitantes deste mundo real, que também trazem surpresas e são, por sua vez, personagens principais no desenrolar da trama. Desde conhecermos figuras míticas de religiões passadas; Demónios cujo nome já os nossos bisavós não conheceram; hordas de Infernos de outras religiões já também há muito desaparecidas; o verdadeiro nome hebreu de Deus, impernunciável segundo os mais devotos, por ser demasiado sagrado: Yahweh; figuras que ainda hoje são parte integrante das nossas religiões e que das quais não sabemos muito, etc, et etc. Conhecemos um Inferno diferente daquele retratado pelo Catolicismo ou mesmo por Dante e conhecemos também uma história teológica do Homem e da criação do Mundo e do Universo muito bem engendrada pela pena do Carey. É um festival de arte misturado com argumentos para quem gosta de pensar e de cruzar conhecimentos.


Na minha opinião será imperativo ler o TPB “Season of Mists” da série "Sandman" e só depois começar a ler o primeiro da série Lúcifer. Preparem a carteira, pois se lerem o primeiro, só param no último. Considerada como uma das melhores séries de comics de sempre, pelos leitores, é um must-read indeed para qualquer amante desta arte.


Podemos ler outros títulos com este personagem: “Secret origins”; “Demon” vol.3; “Spectre” vol.3; “Hellblazer” vol.1; “The Witching” vol.1.

Imperdível!




12 comentários:

DC disse...

É Mike Carey. E ele não entra no Fables. O criador do Fables é o Bill Willingham .

Maldita a hora que li esta review. Agora além dos restantes Absolute Sandman, também quero desesperadamente livros do Lúcifer. (muito boa review;) )

refemdabd disse...

Boa DC, é o que dá estar a fazer posts fora de casa e de cabeça...que já não é tão fresca para tudo! Já emendei no post!
Muito obrigado pela correcção; realmente não ficava lá muito bem essa chalaça :-)
He-he-he, não te vais arrepender; para mim foi uma das top 5, se não 3, de todas as séries que li até hoje.

Abraço.

crucios disse...

Uma das melhores series da Vertigo!

Bongop disse...

Boa review Pedro :-)
Dás muita vontade de comprar Lúcifer... mas eu tenho de me conter ! Tou fazer um montão de series, e não posso entrar em mais... LoooL É muito livro!

refemdabd disse...

Obrigado Nuno!
Se não comprares, vais ter que ler; não se perde uma obra destas, acredita! Provavelmente haverá também um absolute para esta série...e com toda a justiça.

looT disse...

Adoro Lúcifer é das melhores personagens de "Sandman" e adorava sempre que ele aparecia.

Além da sua série a solo conheces "Murder Mysteries" é um comic baseado numa estória de Neil Gaiman e aborda o Lúcifer.

Caso não conheças deixo-te umt exto que escrevi sobre o livro porque tenho a certeza que te vai interessar: http://alternative-prison.blogspot.com/2007/11/murder-mysteries.html

Abraço

Bongop disse...

Copiei uma das imagens :-P

Radjack disse...

"Boa review Pedro :-)
Dás muita vontade de comprar Lúcifer... mas eu tenho de me conter ! Tou fazer um montão de series, e não posso entrar em mais... LoooL É muito livro!"
bongop




faço dele as minhas palavras!

refemdabd disse...

looT, muito obrigado pela sugestão; já vem a caminho! Boa malha de blog, já está nos meus favoritos.

Nuno, à vontadinha ;-) depois mandas-me o nartol dos direitos... :D he-he-he!!!

radjack, digo-te o que disse ao Bongop: Nem sabes o que vais perder! Eu ando a organizar uma milicia de pessoal para irmos roubar para a estrada, alinhas?! :D Ainda pensei noutra coisa, mas tenho muitos pelos no r...pernas! Loool

DC disse...

Para quando um "manual de compra internacional de comics"?
Conselhos para quem compra pela net, para quem vai de férias e precisa de saber que chatives evitar, esse tipo de coisas que são bem úteis. Até podias fazer disso uma coluna para o BDjornal.

refemdabd disse...

Não acredito que tenha material suficiente para um "manual de compra Internacional de comics" por mim só; mas posso dar sugestões e estas serão, por sua vez, muito bem-vindas.
Foi um grande elogio achar que eu teria "cabedal" para me achar digno a escrever uma coluna no BDjornal, muito obrigado; julgo é que seria uma coluna efémera, pois esgotar-se-ia em poucos números por não haver assim tantos segredos (se é que se podem chamar assim) em comprar comics. Pela minha experiência, não existem assim tantos países em que se possa comprar comics originais para além daqueles que nós já conhecemos. Nós até estamos muito bem servidos se considerarmos apenas as comis stores de Lisboa e do Porto, pois existem mais cidades que já vão tendo a sua. Online, as minhas principais fontes são a Amazon.com e uk e o eBay e através deste último vou travando conhecimentos/amizades com alguns traders nos EUA, o que é muito útil para arranjar back issues e outros produtos muito caros em Portugal (bags e long-boxes, por exemplo). Existem outras lojas online muito boas, como a "The Book Depository" (onde os portes já estão incluídos nos preços apresentados, sendo mais barata do que a Amazon.uk); ou a "Forbidden Planet uk" (na qual é preciso ter alguma experiência em calcular os portes, pois eles só dizem quanto é que vai ser de portes após termos efectuado a compra) para estatuetas e action figures. Países como a França, Alemanha e Nórdicos, só mesmo nas capitais é que temos sorte em encontrar comic stores e mesmo assim são muito fraquinhas...vendem quase tudo na língua do País. Na Holanda já é mais fácil encontrar uma ou outra boa comic store, mas é mais fácil em Lisboa ir à Mongorhead ou à King Pin para back issues e boa qualidade dos comics. Mas a verdadeira fonte online é o eBay.com e aqui é imperativo aderir ao PayPal e estar preparado para pagar (muito) pelos portes mais as muito prováveis idas à Alfândega para pagar IVA. Basicamente é isto!
Ler comic também é fonte de informação: existe muita publicidade a mega comic stores nos EUA e estes têm mega armazéns carregados de back issues a preços da uva mijona. O problema é que ultimamente cortam-se em procurarem eles os back issues que desejamos; mas se lá formos, tiramos três dias para cavar as long boxes deles e trazemos dezenas e dezenas de comics entre 10c e 1 dólar cada...nada de jeito é certo...mas muita leitura está assegurada por tuta e meia.
Já está! :D

DC disse...

Bem, esse manual está muito espremido xD Sei que consegues mais. Já no Nona Arte deixas-te imensos conselhos para quem fosse aos states comprar BD e não pagar "extras" por elas.
Dividias por assuntos:
-Sites para compra de action figures: sonselhos e sugestões;
-Numa ida aos states, comprar bom e barato e não ter chatices no aeroporto;
-Melhores sites para compra de X e Y;
Etc. etc.