quarta-feira, 30 de abril de 2008

WARREN ELLIS: TRANSMETROPOLITAN

O Warren Ellis é mais um Britânico de (muito) sucesso no universo dos comics, nascido em 1968, começou nestas andanças nos inícios dos anos 90 na revista Deadline; também, no início, deu o seu contributo a personagens como o Judge Dread, mas o seu primeiro trabalho on-going foi para a revista Britânica Blast! com a série Lazarus Churchyard. Esta série é o início da contínua e distópica visão do futuro que o Warren adopta para as suas séries, exemplo é a série que me traz a este post, mas já lá vamos…
Na Marvel iniciou-se no efémero título Hellstorm: Prince of lies em 1994, mas foi com a série Excalibur que Ellis mais se notabilizou. Também trabalhou para a DC, para a Caliber e para a Image Wildstorm onde o seu Gen13 foi um sucesso e que acabou, por sua vez, nas mãos da DC. Em 1999, a série Planetary, com os fantásticos desenhos do John Cassaday, atingiu também níveis de sucesso elevados; também é de referir a série Authority. Mais trabalhos do Ellis mereceriam aqui destaque, em especial os mais recentes no main-stream, mas o que me trouxe essencialmente a este post foi uma série que apesar de já “antiga” ainda merece muito destaque:


TRANSMETROPOLITAN! Esta série iniciada em 1997 pela mão da DC Helix inprint, mas com os direitos pertencentes ao autor, começou com três comics, tendo depois passado para a Vertigo que a levou até ao seu fim em 2002. A estrela da série é um jornalista mucho loco de uma América do Norte futurista e muito distorcida: Spider Jerusalem. O início da estória apresenta o personagem guedelhudo com fortes parecenças ao Alan Moore na sua fase eremita (será que é uma homenagem?!). O humor negro e sarcástico misturado com doses elevadas de loucura, misturado numa fauna inserida num futuro completamente distópico, preenchido por humanos farmo-geneticamente e electro-mecanicamente alterados criam um cenário digno de se ver. Desenhado pelo Darick Robertson, é um must-read para quem gosta de fugir um bocado ao main-stream e se delicia com argumentos mais negros.


Reeditados, por várias vezes, em TPB, são 10 números mais um número 0 (que deverá ser lido em último lugar). O primeiro TPB, apesar de poucas páginas (só tem 3 dos 60 comics publicados) tem um papel muito bom; infelizmente os seguintes não tiveram a mesma sorte, o papel é semelhante ao apresentado na série Hellblazer/Constantine, o que faz perder um bocado a cor e a luz sumptuosa que supostamente deveria apresentar…o que é uma pena! No entanto, eu aconselho-o veementemente.

Com este post encerro o Mês de Abril…13 dava azar :-) … o primeiro de, espero, muitos mais meses de posts onde partilho o meu gosto por esta fine art.

6 comentários:

Bongop disse...

Não conheço a série Transmetropolitan ! Do Ellis a "única" coisa que conheço mais profundamente são as grandes obras Authority e Planetary... e é com esta série, Planetary, que eu passei a não gostar dele, e passo a explicar... Não se admite que uma série de culto como é Planetary fique pendurada há anos porque o senhor ainda não se dignou a escrever o comic nº27, que é o último da série! Sinceramente acho isto uma grande falta de consideração pelos seus leitores, eu tenho o Absolute Vol.1 e conheço quem tenha os três TPB (estão melhores que eu, que já leram mais um pouco...).
Quanto ao resto, acho que é um dos "notáveis! da 9ª Arte, sempre conseguiu argumentos de ruptura que obtiveram sucesso.

refemdabd disse...

Esta série está muito boa e vai até ao fim, 10 TPBs mais 1 (60 comics). É uma bocado louca mas muito cómica, se bem que os temas escarnecidos são sérios.

A fantástica Authority é também muito do meu agrado, se bem que completamente diferente da Transmetropolitan.

A Planetary teve problemas desde a sua estreia em 1999; esteve interrompida devido a problemas de saúde do Ellis durante cerca de dois anos e agora está à espera do Cassaday para concluir o último número; que segundo o próprio Ellis era suposto estar pronto no início de 2008...já vamos quase a meio do ano, Warren!

Eu estou à espera que se decidam a terminá-la pois queria comprar o Absolute...se bem que quem espera, nem sempre alcança...ao contrário do provérbio!

kitt disse...

Este escritor baralha-me um bocado,o Extremis do Iron Man é quase banal se não fosse 1 pequeno twist final, para mim so vale pela arte de Granov,outra historia dele editada em Portugues na Serie Ouro e na mensal do Wolvie(Wolverine 16e 17
Duro de Matar a mim deixa-me dividido.
Essa historia tem muitas coisa boas mas não me convence mesmo depois de lida e relida. :(

Links:

http://www.devir.pt/marvel/wolverine/wolverine_16.html
http://www.devir.pt/marvel/wolverine/wolverine_17.html
http://www.amazon.com/Iron-Man-Vol-1-Extremis/dp/0785116125
http://www.popmatters.com/comics/invincible-iron-man-extremis-1-5.shtml

refemdabd disse...

Olá Kitt.
Os trabalhos do Ellis no main-stream passam-me um bocado ao lado, para ser sincero; como obedecem a muitas directivas, não ligo e aprecio muito. Prefiro o trabalho que ele desenvolve fora dessa esfera, são mais absorventes do meu ponto de vista.
No entanto, creio que essa estória do Wolverine já tem uns anos e não me recordo muito bem dela; acho que ele ainda vestia licra amarela!
O Iron-Man nunca foi um dos meus personagens, apenas acompanhava os Avengers e quando se deu o reset da numeração ainda comprei até ao número 30 e qualquer coisa, depois desisti. Agora comecei a interessar-me mais, devido aos posts do Bongop, e decidi adquiri-los...vamos ver.

Radjack disse...

Puseste-me a "babar" com essa série TRANSMETROPOLITAN, parecemuito boa, tenho que pesquisar...

refemdabd disse...

Não te vais arrepender. Compra o número 1 e 2 em TPB e depois se gostares atira-te para os outros.